Postado em 15/12/2020
11 estressores secretos que podem estar afetando seu humor, sono e peso
11 estressores secretos que podem estar afetando seu humor, sono e peso

Quando buscamos uma meta de melhorar nossa saúde física ou mental, não é incomum que o estresse nos atrapalhe. O estresse não administrado pode levar à má digestão, enfraquecimento do sistema imunológico e sofrimento psicológico. Embora às vezes estejamos cientes do que está nos causando estresse, é possível que haja estressores desconhecidos contribuindo para seus problemas de saúde. 

Essa conversa sobre o estresse é importante não apenas porque afeta seu humor, seu sono e seus relacionamentos, mas também porque o estresse não gerenciado tende a atrapalhar quaisquer objetivos que você possa ter de perder gordura corporal, ganhar músculos ou corrigir qualquer problema hormonal. Quando você deixa de enfrentar esse problema, você acaba se sentindo oprimido e sem força de vontade para seguir qualquer tipo de plano e meta. 

Muitos dos fatores a seguir podem ser ajudados por nutrientes e suplementos:

  • Quantidade de açúcar no sangue

Quando você tem muito desejo por carboidratos ou quando come até ficar com sono ou descobre que está desejando um café expresso ou um pedaço de chocolate após as refeições – você pode ter um problema de regulação do açúcar no sangue. E com o açúcar no sangue sempre alto, o cortisol também fica elevado, tornando o estresse parte da sua vida.

  • Estresse oxidativo

Temos mais de 100 mil trilhões de mitocôndrias e elas usam mais de 90% do oxigênio que respiramos. Elas transformam alimentos e oxigênio em energia, sendo o lugar onde seu “metabolismo” está acontecendo. Mas as mitocôndrias são incrivelmente sensíveis aos danos do estresse oxidativo. Isso é causado por radicais livres, moléculas às quais falta um elétron, o que as torna instáveis. Nossas atividades do dia a dia acabam gerando radicais livres e, portanto, estresse oxidativo, incluindo exposição a toxinas, infecções, alérgenos, muitas gorduras ruins e poucos vegetais em nossa dieta, oscilações de açúcar no sangue e álcool. Quando suas mitocôndrias são danificadas e não funcionam corretamente, seu metabolismo está basicamente desligando. A melhor coisa que você pode fazer para manter suas mitocôndrias saudáveis ​​é comer uma grande variedade de vegetais de cores vivas, e fazer treinamento de força, pois ele produz mitocôndrias novas e saudáveis.

  • Deficiências de nutrientes

Precisamos de nutrientes adequados, tanto macro (carboidratos, gorduras e proteínas) quanto micro (vitaminas e minerais), para que tudo em seu corpo funcione adequadamente a partir de uma célula nervosa que envia um impulso de contrair o músculo para a produção dos hormônios da tireóide e todo o resto também. As deficiências de micronutrientes são cada vez maiores, mesmo quando temos uma alimentação adequada. Isso pode ser devido ao esgotamento de minerais nos animais que comemos e no solo que produz as frutas e vegetais que nos alimentam, ou simplesmente ao aumento da demanda por nutrientes graças ao nosso estilo de vida moderno. Às vezes, mesmo quando ingerimos os nutrientes que precisamos, o desequilíbrio bacteriano intestinal ou a fraca capacidade digestiva nos torna incapazes de absorver e utilizar esses nutrientes. E, claro, às vezes simplesmente não absorvemos o suficiente. 

  •  Zinco

O zinco é a chave para o equilíbrio hormonal geral (todos os hormônios, do cortisol aos hormônios sexuais e a tireóide, precisam dele) e para um sistema imunológico saudável e uma pele bonita. A RDA (recomendação mínima diária) de zinco é de apenas 8 mg por dia, mas sugerimos um mínimo de 30 mg por dia para mulheres. Embora a ingestão de zinco em excesso possa impedir a absorção de outros minerais como o cobre, muitos de nós temos deficiência de zinco. Se você  tem uma dieta vegetariana, tem má digestão, consome álcool regularmente ou por outras razões também, é aconselhável suplementa mais zinco. Alguns multivitamínicos incluem 30 mg, e você pode aumentar sua ingestão comendo mais ostras, cordeiro, carne bovina alimentada com capim, ovos, cogumelos e castanha de caju.

  • Magnésio

Magnésio é necessário para centenas de reações bioquímicas. Ele é conhecido por nos ajudar a ter um bom desempenho na academia, aliviar nossa TPM, melhorar nosso humor e ter mais facilidade para adormecer. A RDA para o magnésio é de apenas 300 mg por dia para mulheres; entretanto, muitas mulheres precisam de doses mais altas para restaurar seus níveis de magnésio esgotados. Em um painel químico básico de sangue, você deseja que seus níveis sejam de 2,0 a 2,5 mg/dL. Esse mineral é encontrado no espinafre.

  • Selênio

É um nutriente importante para nossas defesas antioxidantes. O selênio é a chave para vários aspectos do nosso sistema imunológico e faz parte da ativação do hormônio tireoidiano. Embora a RDA seja muito baixa em 55 mcg, com base na pesquisa, recomendamos uma ingestão diária de 200 mcg. A castanha do Brasil é rica nesse mineral, em apenas duas ou três por dia podem dar essa dose de 200 mcg. Cuidado para não ingerir selênio em excesso, portanto, evite doses não supervisionadas acima de 200 mcg de alimentos e suplementos combinados.

  • Ácidos graxos essenciais

Essas gorduras essenciais não apenas nos ajudam a modular nosso sistema imunológico e resposta inflamatória, mas também pode ter um impacto favorável em nosso eixo HPA (hipotálamo-pituitária-adrenal), ajudando-nos a ter uma melhor adaptação ao estresse e curar a disfunção do eixo HPA (chamada de fadiga adrenal). Os ácidos graxos ômega-3 são queimados rapidamente quando estamos inflamados ou sob estresse. Certifique-se de comer peixes de água fria (como salmão ou cavala) ou marisco semanalmente, e suplementar com 1 a 2 gramas de um suplemento de óleo de peixe de alta qualidade diariamente. Doses mais altas são garantidas temporariamente para inflamação elevada, cortisol alto, etc. O óleo de peixe pode ser facilmente rançoso e, portanto, cheio de ácidos graxos oxidados, o que na verdade aumenta a inflamação e o estresse oxidativo; portanto, tomar óleo de peixe barato é pior do que não tomar. [Experimente o OmegaTec da Evidence.]

  • Insuficiente fornecimento de oxigênio

Sem oxigênio suficiente, você sente frio e cansaço e parece pálido, mas quase todos os tecidos do seu corpo estão sofrendo. Entre as causas mais comuns de baixo oxigênio nos tecidos estão as deficiências de ferro e vitaminas B essenciais (B12, folato e B6).

  • Desidratação

Assim como o oxigênio, nossa química interna precisa de bastante água para funcionar corretamente.  Algumas pessoas não atingem a necessidade diária de hidratação (sugerimos 2 a 3 litros de água por dia), mas muitas mulheres bebem bastante água, e continuam com sede, ou urinam tanto enquanto bebem e, portanto, apesar de carregarem aquela garrafa de água por toda a cidade, ainda estão desidratados. Uma das soluções mais fáceis é suplementar com eletrólitos. 

  • Inflamação

A inflamação é o grande causador da desregulação hormonal. Quando você tem inflamação excessiva em seu corpo, isso cria rapidamente uma carga de estresse em todos os seus sistemas hormonais. Se você pensar em um hormônio como uma chave e um receptor como uma fechadura, a inflamação é como colar chiclete sobre o buraco da fechadura, tornando mais difícil para os hormônios se liguem a seus receptores específicos. A inflamação pode interromper a sinalização do cérebro até a glândula, que altera toda a cascata hormonal, criando um distúrbio generalizado. Se você estiver apresentando algum sintoma de deficiência hormonal, mas mostrar níveis normais de hormônios no seu exame de sangue, recomendamos que faça um teste de inflamação.

  • Desequilíbrios hormonais

O estresse cria desequilíbrios hormonais, e os desequilíbrios hormonais são estressantes para o corpo. Os hormônios são interligados entre si, então, quando um está desregulado, é uma questão de tempo antes que os outros também fiquem. Um ótimo exemplo é a perimenopausa: conforme o estrogênio e a progesterona caem, o cérebro tenta sinalizar aos ovários para não desistir da luta (por meio de um hormônio chamado FSH, hormônio folículo-estimulante), e então as supra-renais também são estimuladas para aumentar a produção de progesterona e DHEA e outros andrógenos adrenais que são convertidos perifericamente em estrogênio e testosterona, à medida que vêm para ajudar a diminuir os níveis de hormônio feminino. A maioria das mulheres, como já atestamos anteriormente, luta com algum nível de disfunção do eixo HPA, tornando essa transição natural ainda mais desafiadora, já que as supra-renais são solicitadas a fazer mais do que seriam capazes. É por isso que recomendamos que todas as mulheres passando pela perimenopausa cuidem da glândula supra-renal por meio do controle do estresse e da suplementação, já que elas serão solicitadas a intervir para a produção de hormônios sexuais quando os ovários pararem.

Referências: https://www.mindbodygreen.com/articles/cant-figure-out-why-youre-stressed-it-may-be-one-of-these-11-secret-stressors